Blog

Bons hábitos alimentares para uma criança de 3 anos

Bons hábitos alimentares para uma criança de 3 anos

Seu filho de três anos está mais disposto a experimentar novos alimentos do que estava no ano passado. Ele certamente está mais aberto a aceitar alimentos apresentados de uma forma nova ou interessante. Liberte a criatividade dele e faça das refeições uma construção de tradições divertidas e familiares.

Comendo juntos como uma família

As crianças de três anos aprendem muito sobre comer e socializar na mesa de jantar. Estudos mostram que as crianças que comem pelo menos uma refeição por dia com as suas famílias têm melhores vocabulários, bem como melhores dietas. Desligue a TV durante as refeições e conversem em vez disso. Tenha refeições em horários regulares, em um lugar comum como a mesa da sala de jantar ou a cozinha.

Boas maneiras à mesa

Ensine-o a dizer “por favor”, “obrigado” e “eu posso?”. Ele deve ajudar a pôr e tirar a mesa depois. É provável que ele aprecie os hábitos e rituais de refeições em família.

Lidando com prisão de ventre

Se sua criança em idade pré-escolar estiver sofrendo com fezes dolorosas e duras, ou não tiver uma evacuação por um dia ou dois, mude a dieta dele. Se o problema não for corrigido em um ou dois dias, ligue para seu pediatra. Seu filho pode ficar relutante em usar o banheiro se isso continuar por muito tempo.

  • Tome medidas para desmamar o seu filho da mamadeira, se você ainda não tiver feito isso. Beber da mamadeira nessa idade poderia tornar difícil para ele aprender hábitos alimentares adequados em casa e na escola.
  • Evite usar alimentos como uma recompensa ou suborno por bom comportamento. Estudos mostram que esse padrão leva a reduções de curto prazo na alimentação e batalhas em longo prazo.
  • Tente evitar alimentos pequenos e duros, tais como bala dura e chiclete.

Bon appétit!

Read more

A importância do estímulo motor adequado às crianças em crescimento

A IMPORTÂNCIA DO ESTÍMULO MOTOR ADEQUADO ÀS CRIANÇAS EM CRESCIMENTO.

Quando uma criança nasce, seu sistema nervoso ainda está em formação, o que faz com que ela ainda não tenha habilidades motoras, como: sentar, andar etc.

Ao longo dos primeiros 03 meses de vida a criança, em geral, adquire habilidades como controlar a cabeça e o tronco, além de ser capaz de seguir objetos e sons.

Nos 03 meses seguintes (até 06 meses) ela é capaz de se virar de um lado para outro quando deitada, assim como ficar sentada sem apoio. Se puxada para sentar, participa do movimento sem deixar a cabeça cair para trás, além de ser capaz de se arrastar pela casa.

No trimestre seguinte (até 09 meses) a criança já é capaz de engatinhar, puxar objetos em sua direção e escalar móveis. Nesta fase é comum se locomover em pé de lado e segurando em coisas.

Ao completar 01 ano a criança já é capaz de ficar em pé sozinha, mesmo que por pouco tempo, encaixa objetos, dá alguns passinhos e assume a posição de cócoras para pegar objetos no chão.

Ao longo do ano seguinte (até 02 anos) vai ganhando desenvoltura e novas habilidades, como subir e descer escadas, correr, pular.

E com 03 anos de idade, a criança tem grande habilidade motora, como andar de triciclo, ficar sobre uma perna só mesmo que se desequilibre um pouco.

Dos 04 aos 07 anos de vida, a criança vai adquirindo novas habilidades, vencendo novos desafios, cada vez mais complexos, como: andar de bicicleta sem rodinhas, pular corda, brincar de amarelinha etc.

Porém é importante dizer que o ganho destas habilidades se dá de forma gradativa e individual, onde cada criança apresenta um ritmo de desenvolvimento o que é totalmente natural e que crianças prematuras costumam apresentar uma maior lentidão nestas aquisições.

Os dados acima são apenas parâmetros utilizados por médicos, fisioterapeutas, cuidadores e professores para possibilitar a adequada observação deste desenvolvimento e interferirem da melhor maneira assim que perceberem necessário.

Por exemplo, a criança está com 08 meses e ainda não consegue ficar sentada sozinha. Será que isso é indicação de alguma doença? Provavelmente não. Se o parto do bebê correu tudo bem, se ele tem feito as avaliações médicas de rotina, possivelmente o que deve estar acontecendo é uma pobre estimulação por parte da família. Começar a colocar a criança no chão com brinquedos a certa distância vai estimulá-lo a ficar sentado sozinho para brincar. No começo ele vai cair bastante, mas logo adquirirá habilidades motoras para se controlar melhor na posição.

Outro exemplo, a criança fica em pé, mas tem medo de trocar passinhos. O que pode ser feito para estimulá-la? Ficar a sua frente e oferecer as suas mãos como possibilidade de apoio ou brinquedos que enquanto são empurrados pela criança, possibilitem o seu apoio ao mesmo tempo, podem dar a segurança necessária para que ela vença este desafio.

O importante é dosar este estímulo para que ele não seja exagerado, pois isso pode frustrar a criança. Uma maneira de saber se você está abusando é observar se a criança fica irritada ou chorando. Talvez seja o momento de parar a brincadeira ou pelo menos modifica-la.

Cada criança desenvolve habilidades de um jeito, umas mais rápidas do que outras, mas se a criança está constantemente adquirindo habilidades novas, o ritmo desta aquisição não tem tanto valor. O fato de uma criança começar a ler antes dos amiguinhos não quer dizer nada. Estudos mostram que esta “dianteira” é perdida com o tempo.

Agora, se seu filho parece estar ficando muito para trás, converse com seu médico. Ele será capaz de tirar suas dúvidas e te indicar o melhor caminho a percorrer.Caso seja constatado algum atraso, conte com a ajuda de um fisioterapeuta especializado para estimular o seu filho e orientar todos os que cuidam dele de como proceder. E principalmente, fique tranquilo.

Perceba-se!

 

 

Read more